CIÊNCIA

Vencedor do Nobel de Química mantém colaboração com laboratório da Unicamp

Confira o áudio:




Tornar a química verde – isto é, reduzir o impacto ambiental dos resíduos gerados pela indústria e pelos laboratórios – foi um dos critérios adotados pela Real Academia Sueca de Ciências para outorgar o Prêmio Nobel de Química de 2021 ao alemão Benjamin List e ao britânico David MacMillan. De maneira independente, ambos desenvolveram uma terceira classe de catalisadores. Estes não são nem metais, utilizados em larga escala em produtos comerciais como as baterias de automóveis, cujo descarte é altamente impactante para o meio ambiente. Nem enzimas, que os nossos próprios corpos e outros organismos biológicos utilizam na fabricação das moléculas necessárias para a vida.

Ouça na reportagem de Jorge Machado


O desenvolvimento de uma nova classe de catalisadores baratos e amigáveis ao meio ambiente motivou a premiação de Benjamin List, que trabalhou com pesquisador brasileiro apoiado pela FAPESP (imagem: ERC/divulgação)




VEJA TAMBÉM



CIÊNCIA  |   12/11/2021 02h06





CIÊNCIA  |   05/11/2021 08h31


CIÊNCIA  |   05/11/2021 08h24