São Paulo FM

Acessar

SP CIÊNCIA

Estudo mapeia genes do sistema imune envolvidos na resistência ao SARS-CoV-2

Confira o áudio:




Em estudo divulgado na plataforma medRxiv, pesquisadores brasileiros deram os primeiros passos no sentido de entender por que algumas pessoas são naturalmente resistentes à infecção pelo novo coronavírus. 

O trabalho se baseou na análise do material genético de 86 casais em que apenas um dos cônjuges foi infectado pelo SARS-CoV-2, embora ambos tenham sido expostos. Os resultados – que ainda estão em processo de revisão por pares – sugerem que determinadas variantes genéticas encontradas com maior frequência nos parceiros resistentes estariam associadas à ativação mais eficiente de células de defesa conhecidas como exterminadoras naturais ou NK (do inglês natural killers).

Esse tipo de leucócito faz parte da resposta imune inata, a primeira barreira imunológica contra vírus e outros patógenos. Quando as NKs são acionadas corretamente, conseguem reconhecer e destruir células infectadas, impedindo que a doença se instale no organismo. 

Ouça a reportagem de Karina Toledo com a locução de Jorge Machado.



Tumisu | Pixabay



VEJA TAMBÉM



SP CIÊNCIA  |   18/07/2021 23h03





SP CIÊNCIA  |   18/07/2021 22h59


SP CIÊNCIA  |   13/07/2021 08h42